domingo, 29 de junho de 2008

Cristianismo Perigoso

O grande cenário dos Jogos Olímpicos está quase pronto e o lugar mais importante não é a arena esportiva, mas a bilheteria, que, por cifras astronômicas, já vendeu a oportunidade de ver o maior evento esportivo do planeta.

Gravitando ao redor do interesse esportivo, uma outra estrutura, a do turismo, também movimentará fortunas e levará à China uma pequena multidão global.
Em nome da segurança, uma estrutura gigantesca e sofisticada de monitoramento e policiamento permitirá a execução do programa com a devida tranqüilidade.

Como é de praxe nessas ocasiões, atos terroristas estão no topo da lista dos eventos mais temidos. No entanto, um dos receios do país sede dos jogos não é divulgado pela mídia e não será perceptível à grande maioria das pessoas interessadas na competição; também não poderá ser detectado pelos sofisticados equipamentos anti-bombas - as Bíblias dos cristãos.

No intuito de impedir a pregação do Evangelho, há uma grande preocupação com a entrada de cristãos e organizações cristãs. A quantidade de Bíblias por pessoa está limitada a uma, os exemplares disponíveis nos hotéis estão "confiscados", além de outras medidas com a mesma finalidade.

Seguir a Cristo, amar o inimigo, oferecer a outra face, ajudar o próximo, convenhamos, não são atitudes de grande potencial ofensivo, mas continuam transtornando o mundo, à semelhança do relato de Atos (17:6) – "...Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui"

O perigo do cristianismo não reside na capacidade para enfrentar o mundo, mas no seu poder sobrenatural para resistir pacificamente às realidades manifestamente contrárias à vontade de Deus.

O cristianismo, pela Palavra de Deus, desmascara as mazelas humanas decorrentes do pecado e a precariedade do neo-humanismo reinante, por isso é temida.
Para todos que a têm no coração, será sempre um tesouro valioso de fé, encorajamento e sabedoria.

"Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração." (Hebreus 4:12)

Pr. Wilson
Igreja Batista Nova Jerusalém - Santos

domingo, 22 de junho de 2008

Ainda dá tempo para um café

Esse foi o convite que nosso pastor fez hoje à noite.

Em Lucas 10:20, ele leu o seguinte: "E, respondendo ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo."

Então nos convidou para o café, lembrando que devemos amar a Deus

de todo o Coração
de toda a Alma
de todas as Forças e
de todo o Entendimento

Um CAFÉ gostoso para tomar com Deus.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Membresia e compromisso.

Muitas vezes percebemos em igrejas batistas que algumas coisas não tem sido devidamente explicadas, ou entendidas em nosso meio. Ser membro de igreja é uma delas.

Tenho visto um pensamento comum que determina que apenas o membro da igreja é crente e isso tem sido um atrapalho (ou atropelo) para as relações dentro de nossas igrejas.

Por pensar desta forma muitos membros são desconsiderados na hora de se dar atenção a alguém, de se pedir perdão, de se fazer uma visita. Eles já estão salvos, não precisam de atenção especial.

Por pensar assim, muitos membros rejeitam a disciplina na igreja, temendo que o irmão pare de fazer parte do reino de Deus e achando que estão simplesmente julgando o próximo.

Por pensar assim, muitos se dão ao direito de fazer ou falar qualquer coisa, tendo como único cuidado o de não perder a membresia da igreja, enquanto ninguém souber do meu pecado ou não tomar uma atitude contra ele, está tudo bem, ainda estou no céu.

Mas, afinal, o que significa ser membro de uma igreja?

Ser membro de uma igreja é antes de tudo dizer que concorda com o ensinamento, com a crença, com o conjunto de normas daquela ASSEMBLÉIA (Igreja). Por este motivo nós estudamos as doutrinas antes do batismo, fazemos profissão de fé, e pedimos aos crentes de outras denominações que passem pelo mesmo processo (mesmo que tenham que se batizar de novo) para poderem ser membros da igreja.

O membro de uma igreja é um ser perfeito, que não peca, não erra?

O membro da igreja é um crente que continua em processo de crescimento, procurando atingir a perfeição de Cristo. Ele não deve ficar estagnado no pouco conhecimento que adquiriu durante sua preparação para o batismo, deve continuar lutando para aperfeiçoar-se espiritualmente e também no amor. Mas isso tem sido exigido apenas de alguns poucos membros diligentes de cada igreja ou denominação. Estamos sujeitos a falhas, grandes e pequenas, erramos, pecamos e pagamos o preço por isso, mas temos que ter consciência do que acontece à nossa volta e da conseqüência de nossos atos diante da sociedade.

O que deve ser determinante para que uma pessoa seja membro de uma igreja?

Primeiramente ele deve aceitar, concordar e respeitar a doutrina da igreja.

O membro deve defender aquilo que sua igreja crê, de forma que sua igreja não seja envergonhada por suas atitudes.

O membro deve procurar, tentar, fazer um esforço para viver de acordo com aquilo que crê.

E se não conseguir?

Se as atitudes do crente estiverem levando o nome do evangelho ao escândalo, é melhor que ele deixe de ser membro, procure corrigir a sua vida e depois peça reconciliação à igreja. Para que seja apresentado sempre digno diante da sua igreja e da sociedade. Esta é a disciplina.

O que devemos fazer com as pessoas que estão com dificuldades de seguir a doutrina?

Ajudá-las, sabendo que poderíamos ser nós a estar sofrendo tal coisa.

Ter consciência que o pecado é antes de tudo um sofrimento, ninguém vive feliz por estar fora de centro da vontade de Deus.

Nunca julgar nosso irmão (e como isto é difícil).

Procurar demonstrar pessoal interesse na reconciliação da pessoa com o Senhor Jesus. Não colaborando com o seu pecado, mas querendo ver resgatado um pecador.

Lembrar sempre que mentir, criar divisões, fofocar, acreditar em horóscopo e outras coisinhas que julgamos menores são pecados tão grandes como o pecado da feitiçaria, e se não têm conseqüências drásticas na sociedade, têm conseqüências terríveis na vida espiritual do crente, minando o seu vigor e sua fé.

Integração de novos convertidos

Deve ser feita com muita atenção. Os novos convertidos não conhecem nosso jargão, não conhecem as pessoas da igreja, têm a tendência de achar que todos aqueles que se congregam aqui estão plenos do Espírito.

Devemos tomar cuidado ao acompanhar os novos convertidos, para que não se frustrem com nossas atitudes, para que não sejam levados a desistir por causa das atitudes de nossos irmão. Para que não creiam em todas as mentiras que se pregam a respeito da igreja.

Integração de visitantes

Aqueles que costumam nos visitar e nunca fazem uma decisão, são nossos maiores críticos. Devemos promover sua integração, mas em tudo devemos falar a eles a respeito da salvação. O funcionamento da igreja eles já conhecem, o defeito dos irmãos também, o que eles precisam conhecer acima de tudo é a salvação em Cristo Jesus. O mais será resolvido.

Integração de pessoas do grupo

É talvez o que nós mais nos esquecemos de fazer. Achamos que pessoas que estão na igreja há anos não precisam mais de nosso carinho, de nossa atenção e cuidado e voltamos todas as nossas energias a dois grupos, os nossos amigos e os de fora, mas isso não deve ser feito assim, devemos procurar constantemente saber das carências espirituais e emocionais de nossos irmãos e procurar ajudá-los em nossas necessidades.

Integração entre grupos

Dentro de uma igreja existem divisões saudáveis mas que muitas vezes estão em níveis diferentes de atividades e às vezes até de espiritualidade. Um grupo que está à frente, mesmo que não em reuniões, deve procurar sempre levar os demais a crescerem. Para que a igreja tenha um único pensamento e atitude, vai ser muito melhor assim.

Integração com o pastor e liderança

Toda a atividade da igreja deve seguir para uma mesma direção. Para isso existem as lideranças. Os planos devem ser expostos, as decisões devem ser acatadas, e se alguma coisa de errada ocorrer no meio do caminho, ninguém deve fazer críticas a quem errou, antes, deve-se buscar uma solução que supere as conseqüências dos erros cometidos.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

O Último folheto

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos.

Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor e seu filho saírem pelas ruas com os folhetos, fazia muito frio lá fora e também chovia muito.

O menino se agasalhou e disse: -'Ok, papai, estou pronto.
E seu pai perguntou:-'Pronto para quê?

-'Pai, está na hora de juntarmos os nossos folhetos e sairmos.

'Seu pai respondeu:-'Filho, está muito frio lá fora e também está chovendo muito.

O menino olhou para o pai surpreso e perguntou: -'Mas, pai, as pessoas não vão para o inferno até mesmo em dias de chuva?

Seu pai respondeu: -'Filho, eu não vou sair nesse frio.

Triste, o menino perguntou: -'Pai, eu posso ir? Por favor!

Seu pai hesitou por um momento e depois disse: -'Filho, você pode ir. Aqui estão os folhetos. Tome cuidado, filho.

-'Obrigado, pai!

Então ele saiu no meio daquela chuva. Este menino de onze anoscaminhou pelas ruas da cidade de porta em porta entregando folhetos evangelísticos a todos que via. Depois de caminhar por duas horas na chuva, ele estava todo molhado,mas faltava o último folheto.

Ele parou na esquina e procurou por alguém para entregar o folheto, mas as ruas estavam totalmente desertas. Então ele se virou em direção à primeira casa que viu e caminhou pela calçada até a porta e tocou a campainha.

Ele tocou acampainha, mas ninguém respondeu. Ele tocou de novo, mais uma vez, mas ninguém abriu a porta. Ele esperou, mas não houve resposta. Finalmente, este soldadinho de onze anos se virou para ir embora, mas algo o deteve.

Mais uma vez, ele se virou para a porta, tocou a campainha e bateu na porta bem forte. Ele esperou, alguma coisa o fazia ficar ali na varanda. Ele tocou de novo e desta vez a porta se abriu bem devagar. De pé na porta estava uma senhora idosa com um olhar muito triste. Ela perguntou gentilmente:-'O que eu posso fazer por você, meu filho?

Com olhos radiantes e um sorriso que iluminou o mundo dela, este pequeno menino disse:-'Senhora, me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS A AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto que lhe dirá tudo sobre JESUS e seu grande AMOR.

Então ele entregou o seu último folheto e se virou para ir embora. Ela o chamou e disse:-'Obrigada, meu filho!!! E que Deus te abençoe!!!

Bem, na manhã do seguinte domingo na igreja, o Papai Pastor estava no púlpito. Quando o culto começou ele perguntou:- 'Alguém tem um testemunho ou algo a dizer? Lentamente, na última fila da igreja, uma senhora idosa se pôs de pé.

Conforme ela começou a falar, um olhar glorioso transparecia em seu rosto.

- 'Ninguém me conhece nesta igreja. Eu nunca estive aqui. Vocês sabem antes do domingo passado eu não era cristã. Meu marido faleceu a algum tempo deixando-me totalmente sozinha neste mundo. No domingo passado,sendo um dia particularmente frio e chuvoso, eu tinha decidido no meucoração que eu chegaria ao fim da linha, eu não tinha mais esperança ou vontade de viver. Então eu peguei uma corda e uma cadeira e subi as escadas para o sótão da minha casa.

Eu amarrei a corda numa madeira no telhado, subi na cadeira e coloquei a outra ponta da corda em volta do meu pescoço. De pé naquela cadeira, tão só e de coração partido, eu estava a ponto de saltar, quando, de repente, o toque da campainha me assustou. Eu pensei:-'Vou esperar um minuto e quem quer que seja irá embora.

Eu esperei e esperei, mas a campainha parecia tocar cada vez mais altae era mais insistente; depois a pessoa que estava tocando também começou a bater bem forte. Eu pensei: -'Quem neste mundo pode ser? Ninguém toca a campainha da minha casa ou vem me visitar.

Eu afrouxei a corda do meu pescoço e segui em direção à porta, enquanto a campainha soava cada vez mais alta. Quando eu abri a porta e vi quem era, eu mal pude acreditar, pois na minha varanda estava o menino mais radiante e angelical que já vi emminha vida. O seu SORRISO, ah, eu nunca poderia descrevê-lo a vocês! As palavras que saíam da sua boca fizeram com que o meu coração que estava morto há muito tempo SALTASSE PARA A VIDA quando ele exclamou com voz de querubim:

-'Senhora, eu só vim aqui para dizer QUE JESUS A AMA MUITO. 'Então ele me entregou este folheto que eu agora tenho em minhas mãos.Conforme aquele anjinho desaparecia no frio e na chuva, eu fechei aporta e atenciosamente li cada palavra deste folheto.Então eu subi para o sótão para pegar a minha corda e a cadeira. Eunão iria precisar mais delas. Vocês vêem - eu agora sou uma FILHAFELIZ DO REI!!!

Já que o endereço da sua igreja estava no verso deste folheto, eu vim aqui pessoalmente para dizer OBRIGADO ao anjinho de Deus que no momento certo livrou a minha alma de uma eternidade no inferno. Não havia quem não tivesse lágrimas nos olhos na igreja. E quando gritos de louvor e honra ao REI ecoaram por todo o edifício, o Papai Pastor desceu do púlpito e foi em direção a primeira fila onde o seu anjinho estava sentado. Ele tomou o seu filho nos braços e chorou copiosamente.

Provavelmente nenhuma igreja teve um momento tão glorioso como este e provavelmente este universo nunca viu um pai tão transbordante de amor e honra por causa do seu filho...Exceto um. Este Pai também permitiu que o Seu Filho viesse a um mundo frio e tenebroso. Ele recebeu o Seu Filho de volta com gozo indescritível, todo o céu gritou louvores e honra ao Rei, o Pai assentou o Seu Filho num trono acima de todo principado e potestade e lhe deu um nome que é acima de todo nome. Bem aventurados são os olhos que vêem esta mensagem.